Qual será o preço?

O SINIAV no papel funciona perfeitamente, é um sistema de primeiro mundo, com tecnologia de ponta. Porém tudo isso tem um preço, e no fim das contas quem paga é o Brasileiro.

Como poderia ser a cobrança pelo uso desse equipamento? A teoria mais aceita seria juntamente com o IPVA pago anualmente, que além do seguro obrigatório possui a taxa de licenciamento.

Outro meio de cobrança seria no emplacamento ou transferência do veiculo, além é claro de uma taxa de manutenção anual.Que o sistema ajudará o trânsito nós temos certeza, mais quem pagará a conta no final, serão o contribuintes.

Será que ao menos poderá gerar novos empregos e vagas de trabalho?


11 Comments

  1. Ricardo Cantuária says:

    Mais um tapa na cara da sociedade.

    Acoda Brasil!

  2. Alexandre says:

    A manutenção pode ser paga pelas multas aplicadas automaticamente, assim como parte da verba do SPED, que controlará de forma mais intensa o transito de mercadorias, comprovando que o produtor enviou o produto e o comerciante recebeu. Logo, entrou no estoque, inibindo métodos de falsificação de controle de estoque.

    Transferir este custo para os cidadãos gerará um problema grande, pois hoje já é polêmico pagar IPVA e pedágios. Recursos que se fundamentam no direito de ir e vir são contra essa dupla cobrança. Acrescer mais um custo é um problema.

    Se pensarmos na redução de velocidade que o rastreamento vai causar, podemos pensar em economia nos serviços de saúde e socorro com acidentes. No pagamento de IPVAs atrasados quando se comprova a circulação de um veiculo inadimplente. Ainda a considerável redução de pagamento de perda total de veículos por roubo ou furto, por parte de seguradoras.
    Junte essas reduções com uma pequenina parte da verba arrecadada com o SPED e o custo será mais do que coberto.

  3. igor lima says:

    Os “cidadãos” tudo bem, estamos acostumados mas se forem os “cidadões” será um problema.

  4. TEIXEIRA says:

    Certo, porem nimguem via queixar muito pois no Recolhimento de Transito servi para isso e a implementação de uma taxa para a seguraça e muito mais vantagiosa… passando a ser então o RECOLHIMENTO DE TRANSITO, dividido em 4 cotas sedo-as assim:
    1 – IPVA – taxa estadual;
    2 – DPVAT ou seguo obrigatoria ( que se respalda pela dignidade da Pessoa humana) taxa Federal;
    3 – Lincenciamento – taxa municipal
    4 – Siniav ou Furto e Roubo – taxa de manuteção de satelite.
    O pagamento do sistema poderia ser R$ 7,5 por ligação mais taxa de operadora e um preso fixo de RS 46 por ano.(+ ou -).

  5. TEIXEIRA says:

    Este valores que fora extipulados sera pagos no periodo do Recolhimento de transito, assim sendo sera expresso no extrato do mesmo.

  6. Valdenor says:

    A segurança que e direito nosso e dever do estado onde fica? A constituição nós dar este direito e cobra dos governantes, e hora de nós todos nós unirmos e criar uma ação popular para que mais esta conta não seja rateada para todos os trabalhadores Brasileiros que já pagamos IPVA/DPVAT/LICENCIAMENTO e outras taxas só para termos direito de andar e rodovias ruins e cheias de assaltantes e para manter alguns órgãos publico e autarquias.
    Hoje se pararmos para analisar leis e portarias criadas pelo CONTRAN e DENATRAN é verdadeiras formas de despreparo pelos seus dirigentes, na verdade eles parecem ate que não moram no BRASIL gente observe as condições destas cidades estradas ruins acesso a comunicação terrível, ainda querem colocar mais este sistema que como os rastreadores que são colocados particularmente nos veículos já são desarmados pelos criminosos.
    Se tiver algum SENADOR ou DEPUTADO FEDERAL ate mesmo presidente da OAB que possa começar uma campanha para acabar com estes desmandos com os brasileiros.

  7. renato says:

    MAIS UMA COMIDA DE RABO DA POPULAÇÃO…..

  8. renato says:

    MAIS UMA COMIDA DE RABO N
    A POPULAÇÃO…

  9. Mariana says:

    PARAB NS APLASOS Para a Prefeitura de S o Pauloe seus “Pol ticos de M ” Depois de ter Implatado umaLei que s serviu para aacabr com o ganha p o de milhares de profissionais do ramo da publicidade com essa maravilha de Lei Cidade Limpa, (cad Cidade Limpa ?) n o consigo ver!!! Continua a mesma P de sempre, agora ele vem com essa de Inspe o Veicular.Algumas d vida entre voc s de que isso mas uma maracutaia para a recadar mas dinheiro dos trouxas de S o Paulo, se porque n s somos TROUXAS mesmo de n o fazer nada contra essa CORJA de VAGABUNDOS e o nosso queridissimo Prefeito ainda chama os trabalhadores de vagabundos, da para engulir??? Votem com mas responsabilidade da pr xima vez, sei que n o temos muitas op es mas n o deixem que seus preconceitos prejudiquem toda a popula o.PS: Pessoas que vem de ber o e entram na pol tica s beneficiam seus semelhantes fato. Prefiro arriscar nos HUMILDES, porque se eles roubarem pelo mesmo tem uma justa causa.Abra o a todos e at a PR XIMA do Sr. KASSAB.A cidade t INUNDANDO toda vez que chove s pra lembrar.

  10. Varanda says:

    O sistema não é via satélite. a leitura é feita por antenas que serão instaladas em pontos estratégicos. A manutenção desse sistema é a mesma de um radar. O que é por satélite é outro sistema que virá nos carros novos e poderá ser ativado ou não.

  11. Paulo Maia says:

    Agiram sorrateiramente contra o cidadão, pois não fizeram consulta pública, plebiscito ou divulgação na mídia. Os roubos vão acabar? Claro que não, é como a Lei do Desarmamento, os crimes aumentaram e o cidadão continua refém do crime, acuado, com medo e trancado.
    Em nome de um suposto interesse do estado em dar segurança, criam justificativas morais e sociais para vigiarem e monitorarem qualquer cidadão, mesmo antes dele praticar qualquer crime.
    E que vai vigiar esses agentes do governo e políticos que querem impor o SINIAV? Vejam que o estado brasileiro é um estado corrupto, onde as informações e o rastreamento de cidadãos poderá(e será) ser usado de forma vil. Sociedade menos bárbara é aquela que dá melhores condições sociais aos seus cidadãos, sociedade menos bárbara não é aquela que se baseia na repressão de direitos individuais. Uma ação cívil pública já!

Deixe um Comentário: